Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘acomodação’

Por: Júlia Freire Ribeiro – Dê crédito aos autores!

Gestão Ambiental e Endomarketing na Hotelaria: Estudo de Caso Delta Sun Peaks Resort

Sun Peaks, Canada

RESUMO

Nos dias de hoje, é crescente a demanda por produtos e serviços ambientalmente corretos. No turismo, cada vez mais nota-se a busca por destinos e empreendimentos que possuam sistemas de gestão ambiental. Por meio de um estudo de caso com o hotel canadense Delta Sun Peaks Resort – instituição atuante da defesa ao meio ambiente e da conscientização de hóspedes e colaboradores –, objetivou-se avaliar a relação entre a implantação de programas de gestão ambiental e a motivação dos funcionários por meio do endomarketing. Para o levantamento de dados foram feitas entrevistas online com os principais colaboradores da causa, bem como análise de dados informativos em publicações sobre o hotel. De acordo com os resultados obtidos, verificou-se relação direta entre as temáticas, considerando os programas de gestão ambiental como elemento propulsor para o envolvimento dos colaboradores internos, trazendo diversos benefícios associados.

Palavras-chave: Sistemas de Gestão ambiental, Endomarketing, Hotelaria.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Por: Manuela Gonçalves e Ramon Vargas – Dê crédito aos autores!

1. APRESENTAÇÃO

A hotelaria constitui dentro do turismo um serviço essencial, sendo que a hospedagem é parte fundamental da estadia do turista em um local. A influência da hotelaria se dá pelo fato de ela ser economicamente importante e pela geração de renda e empregos. Como é observado no Brasil e no mundo, é ela que traz grande parte dos benefícios nas regiões de destino.

Em Belo Horizonte, percebemos um momento de crescimento no turismo, mais especificamente o de negócios, que é o segmento alvo da hotelaria da cidade. Tal crescimento vem trazendo euforia ao setor hoteleiro, o qual tem apresentado altas taxas de ocupação e reservas com bastante antecedência.

Este trabalho visa contribuir com uma análise da situação atual desses empreendimentos e sua preparação para acompanhar o crescimento citado. Conhecer o setor é uma ferramenta para um planejamento estratégico capaz de conferir vantagem competitiva, visibilidade e permanência no mercado.

2. OBJETIVO

O objetivo do presente trabalho é analisar como a rede hoteleira de Belo Horizonte vem reagindo ao atual momento de euforia vivido pela categoria, devido às possibilidades de negócios, constatadas pela grande procura e realização de eventos, melhoria nas vias de acesso – construção da linha verde que liga o Aeroporto de Confins ao centro de Belo Horizonte – assim como o crescimento na atividade turística. O trabalho visa mais especificamente a análise do funcionamento dos quatro hotéis dados e sua inserção no ambiente atual, junto aos órgãos públicos e associações, assim como a percepção própria de sua realidade e sua imagem perante o público. Com um caráter complementar, o trabalho aborda a problemática de entrave ao pleno desenvolvimento nos hotéis alvo de estudo e tentar propor medidas e ações possíveis para minimizar, ou até mesmo sanar, algumas dessas questões.

3. JUSTIFICATIVA

O CEPLANTUR vem realizando importantes pesquisas na área da hotelaria em Belo Horizonte. O momento vivido e a possibilidade de se observar um processo em andamento trazem a oportunidade de se aplicar na prática os conhecimentos adquiridos até o presente momento na graduação do curso de Turismo. Durante todo o segundo período letivo de 2006, o grupo através da disciplina Estágio Curricular de Pesquisa, foi capaz de aplicar estes conhecimentos de forma investigativa e crítica, através da observação empírica (direta e indireta) das características pertinentes à realização do trabalho, aliados ao embasamento teórico e os questionamentos necessários para se criar uma visão sobre o quadro analisado.

4. METODOLOGIA

Em caráter de pesquisa de gabinete foram consultadas as informações contidas em jornais, publicações especificas da área, folders turísticos, sites específicos dos hotéis e em geral na internet, além de consultas bibliográficas considerando autores internacionais com sérios trabalhos na área, os quais serviram de referencial teórico juntamente com autores nacionais que têm no seu trabalho a melhor adequação regional.

A obtenção das demais informações relevantes ao processo de elaboração do trabalho ocorreu mediante realização de visitas aos hotéis alvo de análise, em várias datas no período compreendido entre os meses de setembro e dezembro de 2006. A realização das entrevistas com os funcionários e com os gestores dos hotéis aconteceu com perguntas pré-elaboradas, diretas e abertas, e as respostas obtidas nas entrevistas foram analisadas considerando-se não só o que foi falado, mas também a desenvoltura e as expressões emocionais dos entrevistados, ou seja, foram avaliadas suas expressões não-verbais (gestos, manifestações sentimentais, etc.), que podem revelar dados a respeito da autenticidade das respostas obtidas. A técnica de entrevistas utilizada foi a de surveys.

Foram entrevistados hóspedes com diferentes características a fim de obter o maior número informações e de diversificação. Visando o enriquecimento do presente trabalho, estes foram entrevistados com questionários fechados e estruturados, avaliando nuances pertinentes ao trabalho. A coleta das informações ocorreu de forma a priorizar a imparcialidade na análise destas. Assim, foram considerados os diversos pontos de vista defendidos pelos diferentes segmentos da sociedade na análise das informações obtidas.
Foram necessários contatos complementares, feitos por e-mails e telefonemas.

5. INTRODUÇÃO

Hotelaria no mundo

A palavra “hotel” provém de um tipo de estabelecimento muito comum em Paris: uma casa cujos apartamentos eram alugados por dia, semana ou mês, chamada “hôtel garni”. Quando surgidos na Inglaterra (após 1760) estabelecimentos similares, estes representaram uma mudança brusca na maneira de se hospedar ao oferecerem instalações mais luxuosas.

Apenas no início do século XIX apareceram profissionais como gerentes e recepcionistas e o desenvolvimento foi consideravelmente lento até meados do século XX.

No século XIX, os hotéis se firmaram como centros de hospedagem comercial para os viajantes e como importantes centros sociais. No século XX, os hotéis alcançaram a especialização e a sofisticação otimizada e seu crescimento e expansão.

Hotelaria no Brasil

A hospedagem no período colonial era realizada nas casas-grandes dos engenhos e fazendas, nos casarões das cidades, nos conventos e, principalmente, nos ranchos que existiam à beira das estradas, construídos às vezes ao lado de estabelecimentos rústicos que forneciam alimentos e bebidas aos viajantes. Os jesuítas e outras ordens recebiam nos conventos personalidades ilustres e alguns outros hóspedes. Com o passar do tempo, foram se agregando, aos ranchos e similares, outras atividades comerciais e de prestação de serviços que deram origem a povoados e a cidades. No século XVIII começaram a aparecer estalagens, ou casas de pasto, que ofereciam alojamento.


Bookmark and Share

(mais…)

Read Full Post »