Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Tiradentes’ Category

Por: Gustavo Pinto – Dê crédito aos autores!

1. Introdução

O Turismo é sempre apresentado e reconhecido como uma tendência de negócios, de segmento profissional, de oportunidade de ganhos financeiros e também de serviço a ser consumido pelo homem. Isto é visível ao se analisar os dados de movimentação financeira do setor ao redor do mundo e também aqui no Brasil. Assim, a atividade turística recebe cada vez mais atenção de empreendedores e também dos planejadores, na academia.

O “boom” dos cursos de turismo pelo Brasil é um reflexo da demanda por profissionais neste campo. Com diversos segmentos, estes cursos variam em sua ênfase, o que reflete na formação do profissional. Em sua maioria, os cursos refletem mais as necessidades tecnicistas da atividade que a abordagem científica da atividade e sua inserção em uma universidade.

No meio deste universo de possibilidades, pouco se discute sobre as tendências do turismo que modificam a paisagem, a cultura de uma comunidade, das mudanças nas relações sociais que esta atividade pode provocar. A geração de cenários turísticos que atendam as necessidades de um público ávido em consumir paisagens e estilos de vida que se diferenciam de seus hábitos, suas rotinas, podem provocar grandes modificações em comunidades frágeis, que possuem apelo turístico, e que podem passar a se render às oportunidades econômicas que surgem com a atividade. Este processo certamente pode ser benéfico à população que recebe o turista, entretanto merece planejamento adequado para que o produto não escoe rapidamente e o turismo não se torne uma vilã que consumirá o local e a cultura de um povo. Estas características não podem se tornar um produto.

Este processo é facilmente observado em Minas Gerais e suas paisagens históricas. O turismo transformou-se não só em única oportunidade de renda para várias famílias, mas também transformou cidades em cenários, em não lugar que reflete mais as características que o turista espera antes que uma vida real.

2. Objetivos

Neste artigo, iremos discutir a necessidade de se pensar as cidades – a partir do caso de Tiradentes, MG – a partir da comunidade local. Para tal, veremos que o turismo não pode fechar em si mesmo, mas buscar nas mais diversas Ciências um apoio para que o planejamento turístico seja coerente com o lugar em que se insere.

Veremos que o turismo precisa de conexões em outras áreas, portanto. E para exemplificar esta necessidade de transdisciplinaridade, abordaremos as relações entre o Turismo e o planejamento urbano. O Urbanismo é uma Ciência que mostra-se fundamental para o desenvolvimento sustentável da atividade turística.

Por fim, discutiremos as tendências do estudo do Turismo na Academia, e faremos deste artigo uma oportunidade de discutir não somente as oportunidades que se abrem para os profissionais da área, mas também a necessidade de se aprofundar no estudo acadêmico da atividade turística.

3. Base Teórica Preliminar: O Turismo e o Urbanismo

Uma das principais discussões envolvendo estudiosos do turismo, desde as salas de aula de graduação até professores e mestres da área, diz respeito à natureza desta pretendida abordagem científica. Tal indefinição é emergente e se reflete no surgimento de vários cursos de graduação em Turismo ligados a ciências diversas, como a administração, as ciências sociais, urbanismo e a geografia.

Neste campo de investigação em que o desconhecido é comum, o único consenso direciona para a necessidade de se eliminar limites entre disciplinas, invenção esta que auxiliou na compreensão da Ciência desde o Iluminismo. Este rigor técnico que permeia os estudos filosóficos – científicos e se mostra característica principal da crise acadêmica deste início de século dá vazão agora para outra abordagem, aberta e exposta. Exige abstração do pensamento linear clássico e conduz ao holismo, permitindo ampliação de direções; mas, em meio à ciência moderna ocidental, há o perigo de perda no meio do caminho.

3.1 As Várias Faces do Estudo do Turismo e a Transdisciplinaridade

A inserção do turismo na academia surgiu, inicialmente, somente com um caráter técnico, um curso em que se treinava o estudioso a adequar-se a normas e a repetir fórmulas. Tal característica reflete a crise da pesquisa da universidade como um todo, com valores inversos: a situação política – econômica ditando as necessidades de estudo acadêmicas, ao invés desta ser um laboratório de novas abordagens que possam extrapolar os muros da universidade.


Bookmark and Share

(mais…)

Anúncios

Read Full Post »