Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Minas Gerais’ Category

Por: Marcela Gonçalves Fagundes de Souza – Dê crédito aos autores!

A Responsabilidade do Poder Público na Inclusão Social: A Atividade Turística como Meio Indutor

RESUMO

A noção de desenvolvimento incorpora a seu campo de discussão a responsabilidade do Estado. Como planejador do desenvolvimento, faz-se necessário que o poder público se manifeste como uma entidade eficiente, aparelhada com mecanismos que possibilitem aos indivíduos o acesso à infra-estrutura, serviços com qualidade e liberdade em suas múltiplas formas. O presente trabalho propõe o debate destinado à compreensão do papel do poder público na indução da inclusão social, tendo o turismo como ferramenta auxiliadora à efetivação da igualdade de oportunidades, da eqüidade, da solidariedade, do exercício de cidadania e da inserção de pessoas, grupos e regiões que podem ser considerados excluídos da fruição do turismo. Nesse contexto, propõe avaliar sobre qual parâmetro os atuais Planos Nacional de Turismo e Setorial de Turismo de Minas Gerais conferem à inclusão social fomentada pelo turismo. Expõe uma reflexão a respeito do planejamento e da gestão do turismo pelo poder público no que tange às suas repercussões na inserção dos autóctones.

Palavras-chave: Turismo; poder público; inclusão.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Por: Tamara Coelho Soares – Dê crédito aos autores!

Características do Turismo de Experiência: Estudos de Caso em Belo Horizonte e Sabará sobre Inovação e Diversidade na Valorização dos Clientes

Ângelo-no-Piano-Quintas-dos-Cristais-2009

RESUMO

O presente trabalho aborda conceitos do Turismo de Experiência e suas aplicações no  setor turístico de Belo Horizonte. Concomitantemente analisa as possíveis influências  que práticas inclusivas no turismo podem causar ou não, ao desenvolvimento e  aplicação do Turismo de Experiência na cidade. Trata-se de uma análise do  conhecimento, aceitação e assimilação dessas abordagens pelos órgãos de planejamento  e gestão, por alguns exemplos  pré-selecionados no mercado e por associações de setores  turísticos da capital mineira.

Palavras-Chave: Economia de Experiência, Turismo de Experiência, Práticas Inclusivas.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Por: Dener Henrique de Queiroz Fonseca – Dê crédito aos autores!

Análise do Segmento de Cicloturismo no Caminho dos Anjos

Caminho dos Anjos

RESUMO

Esse ensaio constitui-se de uma pesquisa teórico-empírica que se propôs a analisar o segmento de cicloturismo no Caminho dos Anjos, roteiro turístico localizado no Sul de Minas. Foram analisadas as estratégias de gestão, infra-estrutura e promoção do destino, com o intuito de avaliar se o destino em questão esta preparado para receber Cicloturistas. O trabalho está organizado em quatro partes subseqüentes. A primeira delas é o referencial teórico, composto por quatro partes principais que tratam de conceitos sobre turismo, planejamento e gestão, mercado, marketing, segmentação de mercado e cicloturismo. Em seguida, apresenta-se a metodologia de trabalho e a definição operacional dos termos investigados. Já a terceira parte, abrange a apresentação e análise dos dados coletados no Caminho dos Anjos. Por fim, são tecidas as considerações finais. Os resultados mostraram que atualmente o Caminho dos Anjos apresenta falhas na infra-estrutura, gestão e promoção de seu destino, todavia conta com um projeto que quando colocado em prática poderá vir a sanar a maioria das deficiências encontradas.

Palavras-chave: Turismo, Cicloturismo e Caminho dos Anjos.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Por: Vitor Kendi Iida Kosaka – Dê crédito aos autores!

Distribuição On-line de Informações e Serviços Turísticos para o Segmento de Viajantes Independentes no Brasil – o caso da WHL.TRAVEL

whl.travel

RESUMO

Neste estudo de caráter exploratório buscou-se proporcionar uma melhor compreensão do segmento de viajantes independentes por meio de uma revisão bibliográfica e apresentar uma análise da importância da Internet e da capacidade dos infomediários, ou distribuidores do meio on-line, em atender este segmento. Para alcançar tais objetivos, primeiramente foi feita a revisão bibliográfica, na qual foram usadas muitas contribuições estrangeiras, devido ao fato de haver pouca produção sobre o assunto no Brasil. Posteriormente, realizou-se uma pesquisa empírica de cunho qualitativo, por meio de um estudo de caso de um infomediário, na tentativa de compreender como este tipo de organização age em relação ao heterogêneo e complexo segmento de viajantes independentes que percorrem o Brasil. O caso estudado é o da WHL.TRAVEL, e o percurso do trabalho consistiu na observação e análise dos web sites da empresa referentes ao Brasil e a Belo Horizonte. Nas análises realizadas, implícita ou explicitamente propõem-se adaptações da apresentação ou do conteúdo dos referidos web sites, visando melhor atender ao crescente segmento dos viajantes independentes. De maneira geral esta monografia desenhou o panorama do segmento de viajantes independentes e os possíveis delineamentos estratégicos para alcançar este público. Observou-se ao final da pesquisa que os infomediários têm grande potencial de atender os viajantes independentes, possibilitando-lhes encontrar de forma mais rápida e conveniente informações e produtos que buscam, além de poderem realizar comparações de produtos e preços de forma prática e simples a partir deste tipo de serviço. O surgimento dos infomediários aparece, portanto, como uma adequação no processo de intermediação dos produtos turísticos. Constatou-se, por fim, que nos web sites da WHL.TRAVEL ainda são necessárias algumas mudanças. Em maior escala, observou-se que o Brasil é um mercado ainda muito novo e que merece mais estudos relacionados ao tema.

Palavras Chaves: viajantes independentes, distribuição, Internet.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Por: Rodrigo Moreira Magalhães e Luísa Lagoeiro Ferreira – Dê crédito aos autores!

Alternativas de Visitação para o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

Parque Nacional Cavernas do Peruaçu

RESUMO

Resultados finais do projeto Alternativas de visitação para o Parque Nacional Cavernas do Peruaçu (PNCP), desenvolvido no ano de 2007, pelos alunos Rodrigo Moreira Magalhães e Luísa Lagoeiro Ferreira. O Parque está localizado na região Norte de Minas Gerais, mais precisamente entre os municípios de Januária, Itacarambi e São João das Missões, e tem, como principal atrativo, a visitação de cavernas. O projeto teve como objetivo propor novas modalidades turísticas que poderiam ser desenvolvidas no PNCP, de forma a diversificar seus atrativos e oferecer novas alternativas de renda para a população de seu entorno.

Palavras-chave: Parque Nacional Peruaçu, uso público.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Sinalização Turística de Belo Horizonte

Sinalização de Orientação Turistica de Belo Horizonte

Palavras Chave: Sinalização Turística, Belo Horizonte, Turismo Urbano.

Para ler o documento na integra, clique aqui.

Não se esqueça de dar crédito aos autores!

Compartilhe!
Bookmark and Share

Read Full Post »

Por: Bianca Cadilhe, Clarice Federman, Felipe Caputo e Lívia Pacheco – Dê crédito aos autores!

1.INTRODUÇÃO

“Uma paisagem só se estabelece como tal a partir do momento em que é observada por alguém”. O uso constante dessa frase durante a disciplina da qual advém a pesquisa, se deve à importância da mesma para o entendimento da relação entre a paisagem e a atividade turística. Uma pessoa é atraída para determinado destino turístico devido à sensação que o mesmo proporciona aos que o visitam. Fotos, palavras e pinturas, são apenas algumas das formas de evidenciar as paisagens causadoras de tais sensações e, dessa maneira, motivar o potencial turista a conhecê-la. Além disso, paisagem é resultado da interação entre o meio natural e a ação do homem sobre ele, é, portanto, o vetor de atração de uma localidade, já que conjuga a busca pelo contato com a natureza com a vivência de outras culturas (os principais motivadores de viagens a lazer).

O estudo subjetivo da paisagem torna-se, portanto essencial para se descobrir sob qual viés os destinos turísticos devem ser explorados e quais as melhores maneiras de se proporcionar ao turista a experiência esperada e condizente com o contexto local.

Instituto Hilton Rocha

O objetivo do trabalho em questão consiste em realizar a análise territorial da Avenida José do Patrocínio Pontes, ou Anel da Serra, de Belo Horizonte e apontar, de acordo com a perspectiva dos pesquisadores, as características que permeiam a essência do trecho e viabilizam que o mesmo seja percebido de tal maneira.

Por meio desse estudo em escala reduzida pretende-se entender os métodos de pesquisa para que possamos posteriormente aplica-los no planejamento de locais públicos turísticos, atendendo as expectativas tanto dos moradores locais, quanto dos turistas. É interessante observar, portanto, que cada pessoa possui uma interpretação diferente de elementos coletivos de acordo com suas bagagens culturais, o que cria relações específicas individuais com a paisagem. Mas ainda sim é possível a estruturação de uma ordenação do espaço que possibilite a melhor utilização do mesmo por todos. E é nesse viés que se encontra o norteador do trabalho.

2. METODOLOGIA

Para a realização do trabalho foram realizadas pesquisas de gabinete e in loco. As pesquisas de gabinete se resumem em informações obtidas na internet e no conteúdo da disciplina de Paisagem e Turismo. Foram realizadas quatro visitas de campo na Av. Jose do Patrocínio Pontes ou Anel da Serra, essas se deram nos dias 20/04 (sexta-feira) , 01/06 (sexta-feira), 03/06 (domingo) e 27/06 (quarta-feira). As visitas realizadas em dias e horários diferentes foram essenciais para viabilizar as análises das diferentes percepções das pessoas que freqüentam a avenida em cada um dos dias.

As análises da paisagem no trecho selecionado foram norteadas por cinco formulários pré-estruturados além de um roteiro de perguntas (os quais se encontram anexados no trabalho) que foram aplicadas nos moradores, trabalhadores e visitantes da rua, o que mais uma vez, viabilizou a análise comparativa de dados fornecidos por diferentes perfis.

A pesquisa virtual objetivou conseguir informações sobre decretos e leis que vigoram na rua. Por meio da compilação das mesmas juntamente com o material estudado em sala de aula e as análises das percepções da Avenida foi possível a elaboração de um trabalho descritivo permeado por uma perspectiva subjetiva que possui forte aplicação prática. As considerações finais apresentam os resultados da investigação e a análise sobre a essência local.

3. HISTÓRICO

Devido à dificuldade de se encontrar informações sobre o histórico da Avenida José do Patrocínio Pontes, as informações aqui contidas são baseadas na fala de alguns moradores da mesma, assim como em algumas reportagens a ela relacionadas.

A avenida em questão teve o início de sua ocupação, que foi bastante gradual, a partir da construção do Instituto Hilton Rocha, um hospital localizado ao pé da Serra do Curral. Tal estabelecimento recebeu autorização para ser construído quando Rondon Pacheco era governador do estado de Minas gerais. A concessão teve caráter excepcional e foi impulsionada pela importância do cientista Hilton Rocha, fundador do Instituto e primeiro morador da avenida.


Bookmark and Share

(mais…)

Read Full Post »

Older Posts »